shumi1

Onze anos depois: 7 fatos que você não sabia sobre o hepta de Schumacher

A bordo de um dos carros mais dominantes da história da Fórmula 1, Michael Schumacher conquistou, há exatos 11 anos, seu sétimo e último campeonato mundial da categoria. Vendo o alemão dominar a temporada a ponto de carimbar a conquista com quatro corridas para o fim, era difícil imaginar que ele pararia por aí. Porém, na temporada seguinte, a Ferrari não fez um bom carro após mudanças no regulamento e o alemão ainda se recuperou para lutar pelo título em 2006, mas acabou se aposentando.

Schumacher ainda voltaria, correndo de 2010 a 2012 na hoje toda poderosa Mercedes, mas sem conseguir grandes resultados. Pouco mais de um ano depois da segunda vez que pendurou o capacete, o alemão sofreu sérias lesões cerebrais em um acidente de esqui e seu real estado de saúde é um mistério até hoje.

Estas histórias têm muito a ver com o que aconteceu naquele ano de 2004 na vida de Schumacher: inúmeras vitórias, recordes, um acidente grave e uma tragédia.

Os sete fatos que você não sabia sobre o sétimo título de Schumacher

1. Barbeiragem interrompeu chance de recorde histórico
Schumacher liderava o GP de Mônaco quando foi atingido por Juan Pablo Montoya. Isso, atrás do Safety Car, dentro do túnel. O colombiano culpou o piloto da Ferrari, dizendo que ele freou forte demais na tentativa de aquecer os freios. Já o alemão viu o incidente de forma diferente: “A situação foi que o líder da corrida foi tirado da prova por um retardatário”. Para os comissários, incidente de corrida.

O curioso foi que a barbeiragem interrompeu a sequência de cinco vitórias de Schumacher – que venceu outras sete vezes dali em diante, no que seria, de longe, a maior sequência da história. O recorde atualmente é de Sebastian Vettel, que ficou 9 GPs sem perder em 2013.

2. Em ano de recorde de vitórias, título foi selado com segundo lugar
O último título de Michael Schumacher ficou marcado como o mais dominante: foram 13 vitórias em 18 GPs, ou seja, o alemão levou 72,22% das provas, a maior média da história. O único a também conseguir 13 triunfos em um mesmo ano foi Sebastian Vettel, em 2013, mas naquele ano foram disputadas 19 corridas.

Porém, o heptacampeonato não foi conquistado com uma vitória – e foi justamente quando a sequência de sete triunfos foi quebrada. Schumi chegou em segundo naquele 29 de agosto de 2004, naquela que foi a primeira das quatro conquistas de Kimi Raikkonen em Spa-Francorchamps.

3. Schumi escapou de acidente forte poucos dias após título
Logo na quinta-feira após selar o heptacampeonato, Schumacher estava de volta à pista testando pela Ferrari. E sofreu um dos acidentes mais fortes de sua carreira: o pneu traseiro estourou a 300km/h quando Schumi se aproximava da primeira chicane de Monza, fazendo o alemão perder o controle e bater forte no muro.

O choque foi tão intenso que, logo após sair do F2004, Schumi teve de deitar na grama para se refazer. “Ele só ficou chocado pelo impacto da batida, não há com que se preocupar”, divulgou a Ferrari em comunicado oficial. O piloto foi substituído por Luca Badoer no restante do teste.

4. Campeonato acabou com 4 GPs para o fim, mas domínio da Mercedes hoje é maior
Seja pela política interna da Ferrari, seja pela superioridade de Schumacher frente ao companheiro, Rubens Barrichello, o fato é que, mesmo que o alemão tenha dominado completamente o campeonato de 2004, a vantagem que a Ferrari obteve em relação aos rivais não foi tão grande em comparação ao que a Mercedes vem fazendo nos últimos 18 meses.

O time alemão conquistou marcas históricas como maior número de vitórias em uma temporada (16, o que corresponde a 84%), de dobradinhas (11) e pódios (31, ou 81%) maiores que a Ferrari em 2004: 15 vitórias (83%), 8 dobradinhas e 29 pódios (80%).

chumi2Ferrari comemora título de Schumacher na bandeirada 

5. F2004 pode ser considerado o carro mais rápido da história
Uma série de restrições regulamentares feitas a partir de 2005 fez com que os carros da temporada do hepta de Schumacher tenham ficado para a história da F-1 como os mais rápidos da categoria. Tanto, que todos os recordes das pistas que não foram alteradas de lá para cá seguem sendo daquele ano.
São sete recordes que permanecem intactos há 11 anos – e a Ferrari é dona de cinco deles: Austrália, China, Canadá, Hungria e Itália.

6. 2004 também foi ano de tragédia
O ano não acabou bem para Schumacher, que perdeu seu guarda-costas de longa data no tsunami que destruiu grande parte do Sudoeste Asiático. Sensibilizado, o alemão doou quase 8 milhões de dólares para ajudar na recuperação dos países atingindo, tendo enviado mais dinheiro do que várias associações e até países;

7. Schumi ganhou campeonato ‘em casa’ e em GP especial para a Ferrari
O fato do hepta e último campeonato de Schumacher ter sido conquistado em Spa parece história de contos de fadas. Afinal, é o circuito com o qual alemão sempre teve uma relação especial, desde a proximidade com sua cidade natal, no oeste da Alemanha, até o fato de ter feito, lá, sua estreia em 1991 e vencido a primeira corrida no ano seguinte. “A sensação com todo o campeonato é diferente, e é muito especial vencer aqui em Spa. Esse circuito significa muito para mim”, reconheceu.

Além de estar ‘em casa’, Schumacher ainda selou a conquista em um dia especial para a Ferrari: a corrida de número 700 da Scuderia na Fórmula 1.

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com